O filme, os vídeos e a mobilização (parte I)