Primeiro encontro com Léa

A educadora Léa com Priscila Gonsales, diretora-executiva do Instituto EducaDigital

Foi em uma manhã fria de setembro que fizemos a primeira entrevista com a Léa para o projeto Biografia. Ela nos recebeu em seu apartamento  no bairro Bomfim, em Porto Alegre. Antes que começássemos a conversa, ela me mostrou o impresso da proposta do projeto (tínhamos enviado por email) e foi logo dizendo: “Gostei muito do que vocês escreveram aqui”.

Não estava escrito nada demais. Apenas uma breve descrição do IED e a ideia de registrar a sua trajetória em formato de biografia, destacando alguns pontos importantes que fazem dela uma figura muito especial, como por exemplo, a história do dirigível no céu que a encantou completamente aos 4 anos de idade. Essa é uma clássica citação que ela faz sempre que lhe perguntam como começou seu interesse pelo mundo da tecnologia.

Léa hoje vive sozinha, durante o dia conta com o apoio da José, que também a leva (e traz) para seus vários compromissos, especialmente no LEC (Laboratório de Estudos Cognitivos da UFRGS).  Basta entrar em seu living para saber que ali reside uma personalidade do mundo acadêmico. A estante clara, repleta de livros, também reserva alguns espaços para os retratos de família.

E foi dessa estante que Lea tirou uma obra rara, já que o assunto seria “biografia”. Sim, ela tem uma biografia de Jean Piaget escrita por ele mesmo. Disse ela com toda modéstia que lhe cabe “Piaget escreve aqui que a pessoa só tem relevância pelo trabalho que  realiza”.

Nossa primeira conversa  foi pautada em grande parte pela sua história pessoal de vida, seu nascimento na cidade gaúcha de Petrópolis, a história fantástica de como seus pais se conheceram. Era só o começo de uma série.  Um começo que levou 5 horas ininterruptas. A vontade era não sair mais de lá.

Por Priscila Gonsales

 

Comente este post